João Conrado Kneipp
Yahoo Notícias14 de abril de 2020

A chegada em São Paulo de frentes frias que derrubarão as temperaturas acende mais um alerta em tempos de combate à pandemia do novo coronavírus. Previsão do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) para essa semana indica que a capital paulista vai enfrentar mínimas que podem chegar a 13ºC na sexta-feira (17).

Mas quais os riscos que baixas temperaturas trazem em um momento de circulação de um novo vírus respiratório?

Dados do Centro de Medicina Baseada em Evidências, criado e coordenado pela Universidade de Oxford, sugerem que condições de frio e seco - típicas do inverno - podem facilitar a disseminação do novo coronavírus (2019-nCoV).

Evidências emergentes indicam que as condições climáticas podem influenciar a transmissão da Covid-19, com condições frias e secas sendo favoráveis ao aumento da disseminação. Esse fenômeno, segundo os estudos preliminares, pode ser explicado através de dois mecanismos: a estabilidade do vírus e o efeito do clima no hospedeiro.

Uma dessas análises correlacionou casos com temperatura média e explorou o efeito da temperatura na transmissão em 429 cidades, principalmente chinesas. Os cientistas descobriram que, para cada aumento de 1℃ na temperatura mínima, havia uma redução no número acumulado de casos em 0,86.

Apesar de recentes, os estudos apontam que o vírus 2019-nCoV possui uma preferência por condições frescas e secas, tornando-se mais estável, e consequentemente mais “forte”, em temperaturas mais amenas.

EFEITO DO CLIMA EM NÓS

Já o segundo aspecto, os efeitos das baixas temperaturas no corpo humano, o coordenador do curso de Medicina do Centro Universitário São Camilo, Raphael Einsfeld, explica que uma frente fria funciona como um desarranjo em nosso sistema imunológico.

“Quando nossa temperatura do corpo cai em função da temperatura externa, o nosso metabolismo diminui em algumas áreas, entre elas as vias aéreas. A diminuição no metabolismo dificulta que as células de defesa atuem localmente, provocando uma pré-disposição a infecções. Por isso que junto com o frio vem outras epidemias de viroses”, pontua Einsfeld.

A “guarda baixa” em nosso sistema de defesa durante o inverno é também um dos motivos do Ministério da Saúde ter antecipado a campanha nacional de vacinação contra a gripe.

A justificativa da pasta é que vacinar contra a gripe faz com que haja uma diminuição procura por atendimento médico e internações e de pessoas que tenham sido infectadas pelo vírus Influenza, além de facilitar no próprio diagnóstico da Covid-19, já que as duas doenças possuem sintomas similares.

Embora climas mais quentes possam retardar a propagação do novo coronavírus, depender apenas de mudanças climáticas para retardar a transmissão da Covid-19 pode não ser suficiente. Por isso, Einsfeld elencou para o Yahoo Notícias quatro cuidados básicos que podem ser tomados para evitar uma queda na imunidade durante o inverno:

  • Aumentar a hidratação do corpo ingerindo líquidos, já que as frentes frias diminuem as chuvas e umidade
  • Usar cremes hidratantes também pode auxiliar a manter a umidade da pele
  • Manter os ambientes abertos, frescos e arejados para que o ar circule e se renove
  • Agasalhar-se bem antes de sair de casa para proteger áreas expostas do corpo.
  • João Conrado KneippYahoo Notícias14 de abril de 2020

Tenho
interesse!

Entre em contato

0300 017 8585 ou 11 3465-2664
Campus Ipiranga
Av. Nazaré, 1501 - Ipiranga
São Paulo - SP
Campus Pompeia
R. Raul Pompeia, 144 - Vila Pompeia
São Paulo - SP