O período de quarentena, imposto pelas restrições da pandemia de SARS-COV2, mudou muitas ações e hábitos em relação ao período pré-pandêmico, como por exemplo: diminuição da locomoção, do tempo para os exercícios físicos e lazer, menos horas de sono, mais horas frente as telas de TV, smartphones e computador além de mudanças no hábito alimentar.

Abaixo estão relacionados 5 erros alimentares observados no período de quarentena:

1 - Maior consumo de alimentos industrializados e uso de aplicativos de celular “delivery de comida”: ricos em sódio e açúcares esses alimentos contribuem para o aumento do peso corporal, para o diabetes mellitus tipo 2, colesterol e para a hipertensão arterial (HAS), além de terem poucos nutrientes e micronutrientes em sua composição. As pessoas tendem a buscar esses alimentos pois já estão “prontos” para serem consumidos, rápidos e práticos, porém pobres em nutrientes.

2 - Menor ingestão de água: por estar em casa no período de isolamento, as pessoas tendem ao esquecimento do hábito da hidratação. A hidratação é importante para regular a temperatura corporal e o funcionamento dos órgãos, elimina toxinas, participa da lubrificação de mucosas (boca, garganta por exemplo) e age no transporte de nutrientes, como no caso das vitaminas hidrossolúveis (Complexo B e Vitamina C).

3 - Menor consumo de frutas verduras e legumes: esses grupos de alimentos são ricos em vitaminas e minerais, importantes na função imunológica, na saúde da pele e ossos e agem como cofatores enzimáticos, substâncias importantes para que as reações químicas do nosso corpo aconteçam. A dica é a compra de alimentos que estão no período de safra (“da estação”) pois além de mais baratos, são mais frescos, além da compra em feiras livre, hortifrúti locais ou de pequenos produtores.

4 - Aumento do número de refeições e das porções de alimentos: quando ficamos em casa durante o período de quarentena, temos a tendência de aumentamos a procura por alimentos por motivo de ansiedade, medo ou excesso de trabalho remoto. A orientação é fazer cinco refeições (desjejum, colação, almoço, lanche da tarde e jantar) com porções menores e evitar “beliscar” nos intervalos entre elas.

5 - Aumento do consumo de óleo e sal de adição: para melhorar o sabor dos alimentos, as pessoas tendem a aumentar o uso e o consumo do óleo (azeite, óleo de milho, canola, soja, etc) e do sal de cozinha para temperar as preparações. Isso pode contribuir para o aumento da pressão arterial e aumento de peso corporal pela adição excessiva degordura na dieta. Dica: Utilize ervas e temperos naturais como por exemplo, alecrim, alho, alho poró, cebola, cheiro verde, cúrcuma, manjericão, orégano.

Texto: Profa. Dra. Luciana Setaro, nutricionista graduada pelo Centro Universitário São Camilo – CUSC, mestre em Nutrição Humana Aplicada- USP, doutora em Ciências dos Alimentos – USP. Docente do curso de Nutrição – CUSC. Coordenadora do curso de Pós-Graduação - Nutrição Esportiva em Wellness - CUSC.

Deseja saber mais sobre o curso de Pós-graduação em Nutrição Esportiva em Wellness? Clique aqui

SOBRE O CENTRO UNIVERSITÁRIO SÃO CAMILO

Há mais de 50 anos, o Centro Universitário São Camilo - SP realiza atividades educacionais na área da saúde, sendo referência nacional nesse campo. Entre os principais diferenciais do São Camilo, destacam-se o reconhecimento do mercado de trabalho, corpo docente qualificado, infraestrutura completa, laboratórios modernos, formação técnico-científica, humanista e ética, projetos pedagógicos diferenciados, estágios garantidos e supervisionados nos cursos de graduação na área da saúde, além da rede de hospitais São Camilo e a clínica-escola. Hoje conta com dois campi: Ipiranga e Pompeia e ministra cursos de Graduação, EaD, Extensão, Pós-Graduação Lato e Stricto-Sensu.

Tenho
interesse!

Entre em contato

0300 017 8585 ou 11 3465-2664
Campus Ipiranga
Av. Nazaré, 1501 - Ipiranga
São Paulo - SP
Campus Pompeia
R. Raul Pompeia, 144 - Vila Pompeia
São Paulo - SP