Especialista traz orientações precisas sobre como usar esses cosméticos com segurança mesmo durante os períodos de maior exposição solar

Todo início de verão é a mesma coisa, voltamos a questionar se é seguro, mesmo, usar cremes com ácido no rosto. A preocupação é legítima já que há ácidos que promovem uma renovação celular mais intensa, podendo deixar a pele mais suscetível a manchas. Porém, essa não é uma sentença definitiva. Mas há ácidos e ácidos, e há formas e formas de usar os cosméticos no rosto, O dermatologista Daniel Cassiano, professor de dermatologia no Centro Universitário São Camilo e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia verão. e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatolótica, explica a seguir as condições para se usar o ácido na pele com segurança.

MARIE CLAIRE - Faz sentido preocupar-se com o uso de cremes com ácido no verão?

DANIEL CASSIANO - O uso de ácidos com ação na renovação epidérmica pode causar inflamação da pele quando utilizados da maneira errada.  Como no verão há maior incidência de radiação solar, essa radiação quando incide em uma pele inflamada, pode causar manchas. No entanto, não há motivo para suspender o uso de renovadores no verão. Quando a rotina de skincare é prescrita pelo médico dermatologista, ele tem a capacidade de orientar o correto uso dos renovadores.

MC - Quais são essas orientações?

DC - É importante consultar o dermatologista mas algumas orientações são: aplicar o creme com ácido após o hidratante, avaliar o uso de produtos com concentração mais leve de ácidos, alterar a frequência da aplicação desse produtos na pele ou optar por ácidos menos irritativos. Outras dicas são: passar menos quantidade de creme no rosto, evitar aplicar nas áreas mais delicadas, como as pálpebras inferiores e os sulcos, e pensar no veículo do produto. Creme, por exemplo, irrita menos do que os ácidos em gel.

MC - Podemos citar quais são os ácidos mais irritativos?

DC - Os ácidos com potencial renovador epidérmico são os alfa-hidroxiácidos, os retinóico e seus derivados/precursores. Alguns exemplos de alfa-hidroxiácidos são: ácido láctico, ácido glicólico, ácido málico, ácido cítrico, ácido tartárico e ácido acético. Nos casos do retinóico, podemos fazer uso de seu derivado, o retinaldeído, ou precursor, o retinol, que irritam menos a pele.

 MC – Quais ácidos tem atuação menos intensa no sentido de irritar a pele?

DC – Há três ácidos com baixo potencial irritativo: o ascórbico (vitamina C), ácido hialurônico, que tem alto poder hidratante, e o ácido salicílico (beta-hidroxiácido).

MC – Durante a temporada na praia ou na piscina, é aconselhável suspender o uso desses cremes?

DC - Não entendo que seja necessário susper o uso de ácidos no verão. Oriento o uso na quantidade correta, diminuo a frequência de aplicação durante a semana e recomendo um bom hidratante para ser aplicado antes do ácido. Dessa maneira, evitamos a irritação da pele e a possível hipercromia pós-inflamatória.

Fonte: Revista Marie Claire

TATIANA BONUMÁ

COLABORAÇÃO PARA MARIE CLAIRE

02 DEZ 2021

 

Tenho
interesse!

Entre em contato

0300 017 8585 ou 11 3465-2664
Campus Ipiranga



Av. Nazaré, 1501 - Ipiranga
São Paulo - SP
Campus Pompeia



R. Raul Pompeia, 144 - Vila Pompeia
São Paulo - SP